Todos os artigos de Autores Convidados

Textos elaborados por autores convidados pela Fanbase Jung Kyung Ho | Brasil.

CHUSEOK| #4 por Paty Santos

No último sábado (26 de setembro) aconteceu um dos feriados mais importantes da cultura coreana, juntamente com 설날 (Soelnal, ano novo lunar) e 단오/ 수릿날 (Danoh/Suroetnal, festival da primavera): Chuseok (추석). Conhecido no ocidente como Dia de Ação de Graças Coreano. Porém o  Chuseok  é  muito mais que uma versão coreana do feriado americano mais conhecido por nós brasileiros; ele  tem a duração de três dias, e remete a várias  característica da história e cultura coreana. 

Assim como nós fazemos  em nossas festas Natalinas, durante 0 Chuseok, as famílias reúnem-se para compartilhar comidas, histórias e dar graças a seus antepassados pelas boas colheitas. O ponto de encontro é, na maioria dos casos, a casa do membro mais antigo da família. E é a partir de lá que são cumpridos três importantes deveres para todo coreano, o  Charye, Bulcho e Sungmyo. 

  

Charye 차례

Charye é um dos rituais mais antigos, realizado por familiares há  milhares de anos na Coréia do Sul. É feito na manhã do Chuseok, o  significado de Charye é “devolver os favores e honrá-los”. É devido a uma crença que os coreanos não acreditam que uma pessoa está realmente morto apenas quando não há mais vida no corpo .  Eles acreditam que seus espíritos ainda estão vivos e protegem os descendentes, assim honram  os seus antepassados ​​através da preparação de alimentos especiais para eles. 

Bulcho 벌초

Bulcho é a atividade de remover e limpar ao redor da sepultura.  Essa é uma tarefa especialmente importante para as famílias, porque na cultura asiática em geral,  existe uma grande importância com a própria honra. É uma visão mais complexa que envolve reputacao, influência e  dignidade.

Sungmyo 성묘

Sungmyo é mais que uma visita  aos túmulos ancestrais. É uma  homenagem, os familiares se curvam diante do túmulo e oferecem bebidas e alimentos especiais.  

Com a modernidade alguns itens celebrativos já podem ser comprados prontos, como mostra a figura abaixo:

 

Saiba mais no artigo e vídeo do BrazilKorea

Fontes: BrazilKorea, Allkpop e Wikipedia.

Translation by Google translator: Last Saturday (September 26th) took place one of the most important holidays of the Korean culture, along with 설날 (Soelnal, lunar new year) and 단오 / 수릿날 (Danoh / Suroetnal, spring festival): Chuseok (추석 ). Known in the West as Thanksgiving Day Thanksgiving Korean. But the Chuseok is much more than a Korean version of the American holiday better known to us Brazilians; it lasts for three days, and refers to various characteristic of Korean history and culture.

Just as we do in our Natalinas parties for 0 Chuseok, families gather to share food, stories and give thanks to their ancestors for good harvests. The meeting point is, in most cases, the home of the oldest family member. And it is from there that are fulfilled three important duties for all Korean, Charye, Bulcho and Sungmyo.

Charye 차례

Charye is one of the oldest rituals, performed by family for thousands of years in South Korea. It is made on the morning of Chuseok, the meaning of Charye is “return the favor and honor them.” It is due to a belief that Koreans do not believe that a person is really dead only when there is life in the body. They believe their spirits are still alive and protect the offspring, so honor their ancestors by preparing special foods for them.

Bulcho 벌초

Bulcho is the activity to remove and clean around the grave. This is an especially important task for families, because in Asian culture in general, there is great importance to own honor. It is a more complex vision that involves reputation, influence and dignity.

Sungmyo 성묘

Sungmyo is more than a visit to the ancient tombs. It is a tribute, family members bow before the tomb and offer drinks and food specials.

With modernity few celebratory items can be purchased already prepared, as shown below:

Learn more in the article and video BrazilKorea

Sources: BrazilKorea, allkpop and Wikipedia.

Anúncios

3 hábitos brasileiros que estrangeiro não compreende

Hoje o assunto é coisa de brasileiro, nosso site e redes sociais são seguidos por alguns fãs estrangeiros do Jung Kyung Ho, então aproveitamos para publicar um artigo da autoria do Buzzfeed Brasil.  No artigo, eles descrevem  10 hábitos brasileiros, mas vamos publicar em três  etapas.  Vamos a primeira parte:

“Descrevemos 10 hábitos brasileiros para nossos colegas do BuzzFeed ao redor do mundo e pedimos que escrevessem a primeira coisa que passasse pela cabeça deles. Treze pessoas participaram: Chris Gera, Alexis Nedd, Will Varner, Elaina Wahl, Arianna Rebolini, Susie Armitage, Driadonna Roland, Chelsea Marshall, Monique Bartley, Sarah Kobos e Erin Chack (todos dos escritórios do BuzzFeed nos Estados Unidos), Ishmael Daro (Canadá) e José Luis H. (México).

1. Tomar mais de um banho por dia.

  

Chris Gera: Isso é que é compromisso com a higiene.

José Luis H.: Hahahaha, às vezes eu fico a semana inteira sem tomar banho.

Alexis Nedd: Isso é OK se está muito calor e se, depois de tomar banho de manhã, você ficou suado e não quer ir pra cama imundo. Caso contrário, é um desperdício!

Elaina Wahl: Eu raramente tomo banho uma vez por dia. Tomo de seis em seis meses, mais ou menos.

Arianna Rebolini: Quem tem tempo pra isso???

Susie Armitage: Deve ser muito quente aí, então faz sentido.

Chelsea Marshall: VOCÊS ESTÃO SABENDO DA SECA NA CALIFÓRNIA? TOMEM UM BANHO SÓ, PESSOAL.

Erin Chack: Faz sentido que as pessoas em climas mais quentes sintam a necessidade de tomar banhos com mais frequência. Mas as contas de água devem ser um pesadelo.


2. Escovar os dentes no trabalho.

  

Chris Gera: Parece uma boa ideia, na verdade. Mas eu nunca ia lembrar de levar a pasta e a escova pro trabalho.

José Luis H.: Isso é estranho. Mas vocês provavelmente têm dentes excelentes. Os hábitos de higiene dental de vocês estão muito à frente dos nossos.

Will Varner: É um pouco estranho, mas parece ser uma boa ideia. Eu tenho uma escova de dente no trabalho, mas me sinto esquisito porque mais ninguém tem. Então eu nunca uso.

Elaina Wahl: Não é esquisito. Mas tirar selfies fazendo isso, sim.

Susie Armitage: Bom saber. Quando eu for ao Brasil vou fazer isso pra vocês não pensarem que eu sou nojenta.

Chelsea Marshall: É esquisito. Mas eu sempre tenho cáries, então quem é o bobo da história?

Monique Bartley: Mais uma vez o Brasil faz a gente parecer um bando de maltrapilhos que não sabe o que é um sabonete.

Sarah Kobos: Acho que eu deveria adotar esse hábito. Todos nós deveríamos. Parabéns.

Erin Chack: EU VI UMA PESSOA FAZENDO ISSO EM SÃO PAULO e pensei que ela tivesse uma consulta no dentista depois. Faz mal pros seus dentes escovar mais de duas vezes por dia! Comam uma folha de hortelã em vez de fazer isso.

3. Sentar ao lado do parceiro no restaurante.
 

José Luis H.: É mais fácil pra beijar.

Alexis Nedd: Vocês deveriam olhar um no olho do outro e fazer um brinde de champanhe com a pessoa do outro lado da mesa! O romance está morto no Brasil!

Will Varner: Parece normal.

Elaina Wahl: Casais americanos desagradáveis fazem a mesma coisa. Notem que a palavra-chave é “desagradáveis”.

Arianna Rebolini: Amei 100%.

Susie Armitage: Meio fofo.

Driadonna Roland: Eu e o meu namorado sempre fazemos isso. É mais íntimo, acho, mas eu sei que os garçons ficam com vontade de vomitar.

Monique Bartley: Mas vocês não vão querer olhar um no olho do outro e ver aquele sorrisão com os dentes bem escovadinhos?

Sarah Kobos: CASAL QUE SENTA LADO A LADO?! Não. Sai fora.

Erin Chack: Queria que fosse assim nos Estados Unidos. Desse jeito é muito mais fácil dividir a comida.

Crédito: BuzzFeed Brasil “

Translation by Google translator: 

Today it is Brazilian thing, our website and social networks are followed by some foreign fans Jung Kyung Ho, then take the opportunity to publish an article by Buzzfeed Brazil. In the article, they describe 10 Brazilian habits, but we will publish in three stages. Let the first part:

. “We describe 10 Brazilian habits to our colleagues from BuzzFeed around the world and ask them to write the first thing that passed through their minds Thirteen people participated: Chris Gera, Alexis Nedd, Will Varner, Elaina Wahl, Rebolini Arianna, Susie Armitage, Driadonna Roland, Chelsea Marshall, Monique Bartley, Sarah Kobos and Erin Chack (all of BuzzFeed offices in the United States), Ishmael Daro (Canada) and José Luis H. (Mexico).

1. Take more than one bath a day.

  Gera Chris: That’s what’s commitment to hygiene.

José Luis H .: Hahahaha, sometimes I get a full week without showering.

Alexis Nedd: That’s OK if it’s hot and, after taking bath in the morning, you got sweaty and do not want to go filthy bed. Otherwise it is a waste!

Elaina Wahl: I rarely take a bath once a day. Tomo every six months or less.

Arianna Rebolini: Who has time for that ???

Susie Armitage: It must be very hot there, so it makes sense.

Chelsea Marshall: ARE YOU AWARE OF DROUGHT IN CALIFORNIA? TAKE A BATH ONLY, STAFF.

Erin Chack: It makes sense that people in warmer climates feel the need to take baths more often. But water bills must be a nightmare.

2. Brush your teeth at work.

  Gera Chris: Sounds like a good idea, actually. But I would never remember to take the folder and for work brush.

José Luis H .: That’s weird. But you probably have excellent teeth. Dental hygiene habits of you are way ahead of us.

Will Varner: It’s a bit strange, but seems like a good idea. I have a toothbrush at work, but I feel weird because nobody else has. So I never use.

Elaina Wahl: It’s not weird. But take selfies doing that, yes.

Susie Armitage: Good to know. When I go to Brazil I will do that for you do not think I’m disgusting.

Chelsea Marshall: It’s weird. But I always have cavities, so who is the fool of history?

Monique Bartley: Once again Brazil makes you look like a ragtag bunch who does not know what a soap.

Sarah Kobos: I guess I should adopt this habit. We all should. Happy birthday.

Erin Chack: I SAW A PERSON DOING IT IN SÃO PAULO and thought she had a dentist appointment later. It poorly pros to brush his teeth more than twice a day! Eat a mint leaf instead of making it.

3. Sit next partner in the restaurant.

 José Luis H .: It is easier to kiss.

Alexis Nedd: You should look in the eye of the other and do a champagne toast with the person across the table! The romance is dead in Brazil!

Will Varner: It seems normal.

Elaina Wahl: unpleasant American couples do the same thing. Note that the key word is “unpleasant”.

Arianna Rebolini: Loved 100%.

Susie Armitage: Half fluffy.

Driadonna Roland: Me and my boyfriend always do that. It is more intimate, I think, but I know that the waiters are willing to throw up.

Monique Bartley: But you will not want to look in the eye of the other and see that grin with well escovadinhos teeth?

Sarah Kobos: COUPLE SITTING SIDE BY SIDE ?! No. Get out.

Erin Chack: I wish it was like that in the United States. This way is much easier to share food.

Credit: BuzzFeed Brazil “

Idade Coreana |#3

Hoje o assunto é sobre a contagem da idade na Coréia. Especificamente a data do nascimento que uma pessoa completa mais um ano de vida. Comemorar o dia do nascimento é coisa ancestral, desde a Antiguidade, os romanos já comemoravam o dia do nascimento de uma pessoa. Os gregos foram os criadores dos tradicionais bolos de aniversário, as velas colocadas em cima do bolo surgiram também na Antiguidade. Eles acreditavam que a fumaça das velas levava as preces dos fiéis até o céu, protegiam o aniversariante de espíritos ruins e garantiam sua proteção para o ano vindouro.

Diferente do Brasil (culturas ocidentais), na Coreia (culturas orientais) o primeiro ano de vida é contado desde o tempo da concepção até o nascimento. Ou seja, todas as crianças nascem já com um ano de idade. Para sabemos qual a nossa idade coreana usaremos o seguinte cálculo:

  • O ano em que estamos – o ano em que nasceu + 1 = Sua Idade Coreana
  • Exemplo: (2015-1992)+ 1 = 24 anos. 

Na Coreia existe outra diferença,  ao contrário dos brasileiros que acrescentam um ano a sua idade todos os anos na data do seu aniversário, os coreanos fazem na virada do ano. Na verdade, não importa se seu aniversário passou ou não, quando o ano novo chega, todo mundo na Coreia se torna um ano mais velho. Em alguns casos até dois anos mais velho que a idade ocidental. As festas de aniversário no formato que os brasileiros conhecem, também são utilizadas pelos coreanos, mas pelo público mais jovem.

Vale ressaltar, nos documentos oficiais o modelo que prevalece é o ocidental. 

Fontes: BrasilEscola,  EmagAsia e SarangInGayo

Fanmeeting |#2

Hoje o assunto é sobre Fanmeeting ou Fan Meeting. Na Coréia do Sul é muito comum reunião de artistas com os seus fãs. São pequenos encontros  com objetivo de promover um maior contato do artista com fãs, eles assinam autógrafos, recebem presentes, realizam brincadeiras, respondem perguntas dos fãs, etc.  No Brasil não é um tipo de evento muito utilizado, alguns países da América usam o termo  “showcase”. 

Fanmmeting não apenas um  tipo de evento que se restringe  aos artistas, em abril deste ano, o Brasil recebeu a presidente da Coreia do Sul , Park Geun-hye, com o intuito de aumentar  entendimento e cooperação entre os dois países, através de duas grandes paixões: Música e Moda.

  

Neste evento, segundo os  organizadores, a presença da presidente Park Geun-hye, foi um dos pontos altos do evento. Simpaticíssima e falando algumas palavras em português, ela comentou sobre a afinidade entre os dois países e ainda demonstrou alguns números significativos, como os 50 mil sul coreanos que moram no Brasil, sendo que a maioria trabalha com Moda.

 Na foto a Presidente da Coreia do Sul Park Geun-hye no Brasil, em evento  organizado pelo Governo da República da Coreia & Ministério da Cultura, Esportes e Turismo, e ArirangTV com o objetivo de incentivar o intercâmbio cultural entre os dois países. 

Crédito foto: R7

Moradia  | #1

Hoje o assunto é sobre moradia e o sistema de fiança coreano.
Existem diversas peculiaridades entre as culturas mundiais. Informar-se e respeitar os costumes locais do seu destino (no caso de turístico)  e a melhor maneira de evitar situações constrangedoras durante a viagem. Aqui a gente vai trazer fatos interessantes do local de nascimento do ator Jung Kyung Ho, sempre com fontes fidedignas. O texto abaixo foi extraído do vídeo do De Prosa na Coreia: 

“Basicamente, para alugar uma casa na Coreia você precisa ter uma quantia para dar um depósito de segurança, que normalmente é bem mais alto do que a gente gostaria que fosse. Esse depósito se chama 보증금 (pô-djung-gum). Digamos que você queira morar numa quitinete em Seul. Pelo sistema de aluguel mensal, chamado de 월세 (wór-sê), você pagaria, por exemplo, 500 mil wons (500 dólares) por mês + um depósito de 10 milhões de wons (10 mil dólares), que é devolvido para você no final. Em muitos casos, você pode aumentar o valor desse depósito, e assim diminuir o valor do aluguel, podendo até chegar ao ponto de pagar, por exemplo, 100 milhões de wons (100 mil dólares) e não precisar pagar aluguel. Esse sistema se chama 전세 (jón-sê), e funciona pelo princípio em que o dono do imóvel usa essa grana para aplicar em algum fundo, e depois devolve para você sem correção.

O 전세 é o método preferido pelos coreanos, mas cada vez mais os jovens têm tido dificuldade em juntar tanto dinheiro, o que tem levado muitos a pegar dinheiro emprestado no banco para poder pagar o depósito.

Portanto, se você vem para a Coreia por conta própria, tenha isso em mente. Existem algumas opções sem depósito, mas essas são mais escassas, e provavelmente o apartamento não vai ser lá muito bom.”

Fonte: De prosa na Coreia